Motorola lança nova geração do Moto G e Moto X no Brasil

A partir desta sexta-feira, 5, consumidores brasileiros terão acesso à renovação da linha de produtos da Motorola. A companhia começa a vender no país as novas gerações do Moto G e Moto X, atualizações dos smartphones que foram sucesso de vendas.

O novo Moto G chega em três versões, com preço variando entre R$ 700 e R$ 800. Já a segunda geração do Moto X será vendida por R$ 1,5 mil. Veja os detalhes técnicos de cada um:

Novo Moto G

20140904194042

A Motorola preferiu não inventar muito com o novo Moto G, o smartphone mais vendido da história da empresa em relação aos componentes que rodam sob o capô.. Internamente, o produto é quase idêntico, com o mesmo processador, um Snapdragon 400 quad-core com clock de 1,2 GHz e 1 GB de memória RAM.

As diferenças ficam em outras partes do aparelho. Enquanto o modelo original tinha 4,5 polegadas, a 2ª geração traz um display de 5 polegadas com a mesma resolução HD, o que também significa que a densidade de pixels diminuiu de 329 pixels por polegada para 294.

Outras mudanças incluem uma câmera melhorada e com maior capacidade de megapixels, saltando de 5 MP para 8 MP na nova geração, dois alto-falantes para maior potência sonora, suporte a TV digital (em apenas uma das versões) e o slot para cartão microSD, uma das maiores reclamações escutadas pela empresa desde a chegada do primeiro Moto G.

O produto chega às lojas em três versões: a primeira, mais básica, conta com suporte a dois chips SIM e 8 GB de armazenamento e custa R$ 700; a segunda é idêntica, mas já vem com uma capinha traseira extra por R$ 730. A última, também com suporte a dois chips, também tem TV digital e custa R$ 800. A empresa continuará vendendo a versão 4G do primeiro Moto G pelo mesmo preço, por enquanto, mas as outras devem sair do mercado em breve.

O novo Moto G sai de fábrica com o Android 4.4(KitKat), mas a empresa garante atualização rápida para o Android L assim que ele sair, em algum momento até o fim do ano.

Novo Moto X

20140904195304

Antes de tudo: ainda bem que ele não se chama Moto X+1. Dito isto, enquanto o primeiro Moto X apostava em um hardware ligeiramente inferior aos rivais e se destacava pelos recursos de voz e outros recursos inteligentes, o novo modelo tenta acertar nos dois lados, tanto em hardware quanto em software.

O novo aparelho usa um processador Snapdragon 801 quad-core no clock de 2,5 GHz, igualando a maioria dos tops de linha do mercado, mas mantendo os sensores de movimento e captação de voz avançados que diferenciavam a primeira versão. O aparelho reconhece gestos  e é capaz de reconhecer quando o usuário não está olhando para a tela para reduzir o consumo de energia.

O “Ok, Google Now”, comando de voz que fez o Moto X se destacar, mudou. Agora o dispositivo permite que você configure qualquer chamado que preferir para ativar o celular. Ou seja: você pode configurar o Moto X para acordar quando você diz “Olá, celular”, “Ei, Marisa!”, ou o que você achar melhor.

A câmera foi melhorada, capaz de fazer imagens de 13 MP e filmar em 4K. O flash também foi modificado, com um pequeno anel circulando as lentes. O novo Moto X aumentou de tamanho, agora com uma tela de 5,2 polegadas, e também aumentou a resolução, que saltou para 1080p (Full HD).

O aparelho será vendido em quatro versões, todas com 32 GB de armazenamento interno sem slot para cartão microSD. No Brasil, o novo Moto X será vendido nas cores branca e preto e com edições limitadas de acabamento em couro ou madeira. Todas custarão o mesmo: R$ 1,5 mil.

Fonte: Olhar Digital