Novo Malware para iOS pode infectar até mesmo usuários sem jailbreak

Há menos de um mês após a descoberta de um malware identificado por XcodeGhost, revelado como umas das falhas de segurança mais perigosas do iOS, pesquisadores de segurança descobriram uma outra falha que pode infectar tanto usuários de dispositivos com jailbreak quanto usuários que nunca fizeram o processo nos seus aparelhos. Apelidado de YiSpecter, o malware alegadamente vem atingindo usuários na China, assim como em Taiwan.
Em seu blog oficial, a empresa de segurança cibernética Palo Alto Networks disse que o novo vírus se espalha através de um código malicioso em páginas da web tanto em sites para dispositivos móveis quanto para sites tradicionais.
O YiSpecter não está relacionado com o XcodeGhost, pois ele é introduzido nos dispositivos móveis de usuários que permitem que um aplicativo torne possível assistir vídeos pornográficos gratuitamente. O código pode fazer alterações no Safari, navegador padrão do sistema, monitorando assim o uso de aplicativos legítimos possam exibir anúncios durante sua utilização.
O malware, como já citado, não infecta apenas usuários de iPhones que passaram pelo processo de jailbreak, mas também os que nunca fizeram nenhuma modificação no software do aparelho.
Ryan Olson, diretor de inteligência de ameaças da Palo Alto Networks, disse em entrevista ao The Wall Street Journal que os usuários que foram infectados “geralmente eram enganados porque achavam que estavam instalando outra coisa ou porque clicaram para aceitar uma instalação que não deveriam”. A empresa de segurança já enviou um relatório para a Apple e a empresa de Cupertino disse que já está investigando o caso, mas não fez nenhum comentário com a imprensa.
Como a pornografia é ilegal na China, os usuários precisam optar por meios não táo tradicionais para consumirem este tipo de conteúdo, sendo que muitas vezes eles são “obrigados” a baixarem aplicativos ou arquivos oferecidos em sites duvidosos. Os hackers, aproveitando esta situação, geralmente inserem malwares em vídeos virais que envolvem celebridades e autoridades, atingindo um público maior.
Ainda não temos relatos oficiais de que o vírus pode se espalhar para outro país.